Talibã e o contorno político previsível

Derrepente o Talibã é para o mundo a volta dos que não foram.

Dias atrás enquanto pensava alto e escrevia sobre o que não sabia e os motivos pelos quais a ordem não poderia ser cumprida em hipótese alguma, adotei como uma das justificativas a explicação que a decisão não se baseava no meu desejo, e sim que haveria uma barreira geografica e política para tomar a decisão.

Entendi que aquele lugar também simboliza disputa de poder de presumido interesse de outras nações. Afinal como conseguiram se financiar por tantos anos para comprar aquelas armas?! Tecnologia de guerra e armamento não vende na esquina na economia organizada. É item de guerra. Isto os impede de serem livres, pois sempre sujeitos ao controle político e econômico de alguém.

Eis que surge um artigo na folha de São Paulo que discorre sobre um comunicado de um líder para que este regime que renasceu para o mundo faminto, e com sede, seja moderado.

Rótulos a parte é difícil conceituar sob qual outro regime a solução desta equação vira. Ainda que sem informação, entendo que o traço comunista histórico daquele país que cedeu ao capitalismo que impulsiona o mundo pelas relações de consumo esta se mostrando como uma saída ou interesse.

De forma muito crua e rudimentar, tchau estados unidos, pare de impor a conversão ideológica de sua democracia de forma compulsória. Esse povo vive assim e assim viverá. São meus vizinhos, viverão assim.

A nós restam fragmentos de notícias e relatos que vão desde violência e intransigência, morte, fuga e medo. Basicamente pela notícia acerca do quanto é ameaçador o fundamentalismo islâmico.

O Brasil historicamente se alinha aos Estados Unidos na política e na economia. Ate cede para a economia americana. Porém depende igualmente e agora muito mais da chinesa e asiática.

Existe certo e errado nisso? Qual a nossa posição?

Em meio a essa questão do Talibã e as negociações que sucederão com a Russia, o que estamos fazendo com o Brasil violento? Que mata de fome? Não oferece serviço público decente, enxuto e eficiente contudo critica e opina rapidamente.

Uma nação cujos trabalhadores não vivem bem do salário apesar dos amplos direitos estabelecidos na constituição.

Precisamos entender um pouco mais as motivações, as vezes pelas matérias que leio parece que vivemos geograficamente uma guerra de poder na formação de um bloco e reafirmação de regime similar ao que seria uma guerra mundia, fomentada não apenas com munição e sim com artigo e mídia de jornal/pessoal.

Se isso fosse ruim porque o congresso e senado aprovaram a possibilidade de estrangeiros adquirirem no CPF terras nacionais? Em qual ponto e posição estamos cedendo aos efeitos reflexos dessa guerra. O que somos?

Mistério.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s