Dia especial! Nasceu a padaria social.

Há dois anos atrás quando conheci o Carlos e falei sobre esse projeto, não sabíamos como iria acontecer nem como fazer.

No início, procurei nas padarias existentes por maquinário. Não funcionou. Tentamos o mercado de usados e também não vingou.

Ai veio a pandemia. E Deus tocou no coração de muitos que vieram nos procurar querendo ajudar. Primeiro veio a ajuda com a entrega de alimentos que iriam estragar e a produção de quentinha acelerou. Depois veio a confiança para ajudar e acreditar o quanto se pode fazer bem ao próximo com tão pouco.

Ajudar o próximo é um ato de amor. Matar a fome é uma benção. Ajudar essa corrente de bem não é fácil quando temos aí tanta propaganda e tanta gente descompromissada.

Então resolvi agir, e conseguimos fazer a comida chegar a quem mais precisa. Com muito pouco. Essa é a multiplicação dos pães, como rende, como é barato, como é mais fácil do que parece e quanto tabu existe para dificultar ajudar o próximo.

Superamos essa dificuldade juntos. Obrigado a quem me ajudou. Nesse projeto descobri que existe carência de profissionais na área da panificação. Espero poder ajudar. Também descobri que existe igual dificuldade para conseguir confeiteiros.

Derrepente tive a ideia de expandir e fazer a confeitaria social. Enquanto isso vamos produzindo pães para todo mundo. A venda de uns financiará a produção daqueles que tem fome.

Estamos aceitando pedidos!