Talib√£ e o contorno pol√≠tico previs√≠vel

Derrepente o Talibã é para o mundo a volta dos que não foram.

Dias atrás enquanto pensava alto e escrevia sobre o que não sabia e os motivos pelos quais a ordem não poderia ser cumprida em hipótese alguma, adotei como uma das justificativas a explicação que a decisão não se baseava no meu desejo, e sim que haveria uma barreira geografica e política para tomar a decisão.

Entendi que aquele lugar tamb√©m simboliza disputa de poder de presumido interesse de outras na√ß√Ķes. Afinal como conseguiram se financiar por tantos anos para comprar aquelas armas?! Tecnologia de guerra e armamento n√£o vende na esquina na economia organizada. √Č item de guerra. Isto os impede de serem livres, pois sempre sujeitos ao controle pol√≠tico e econ√īmico de algu√©m.

Eis que surge um artigo na folha de São Paulo que discorre sobre um comunicado de um líder para que este regime que renasceu para o mundo faminto, e com sede, seja moderado.

R√≥tulos a parte √© dif√≠cil conceituar sob qual outro regime a solu√ß√£o desta equa√ß√£o vira. Ainda que sem informa√ß√£o, entendo que o tra√ßo comunista hist√≥rico daquele pa√≠s que cedeu ao capitalismo que impulsiona o mundo pelas rela√ß√Ķes de consumo esta se mostrando como uma sa√≠da ou interesse.

De forma muito crua e rudimentar, tchau estados unidos, pare de impor a conversão ideológica de sua democracia de forma compulsória. Esse povo vive assim e assim viverá. São meus vizinhos, viverão assim.

A n√≥s restam fragmentos de not√≠cias e relatos que v√£o desde viol√™ncia e intransig√™ncia, morte, fuga e medo. Basicamente pela not√≠cia acerca do quanto √© amea√ßador o fundamentalismo isl√Ęmico.

O Brasil historicamente se alinha aos Estados Unidos na política e na economia. Ate cede para a economia americana. Porém depende igualmente e agora muito mais da chinesa e asiática.

Existe certo e errado nisso? Qual a nossa posição?

Em meio a essa quest√£o do Talib√£ e as negocia√ß√Ķes que suceder√£o com a Russia, o que estamos fazendo com o Brasil violento? Que mata de fome? N√£o oferece servi√ßo p√ļblico decente, enxuto e eficiente contudo critica e opina rapidamente.

Uma nação cujos trabalhadores não vivem bem do salário apesar dos amplos direitos estabelecidos na constituição.

Precisamos entender um pouco mais as motiva√ß√Ķes, as vezes pelas mat√©rias que leio parece que vivemos geograficamente uma guerra de poder na forma√ß√£o de um bloco e reafirma√ß√£o de regime similar ao que seria uma guerra mundia, fomentada n√£o apenas com muni√ß√£o e sim com artigo e m√≠dia de jornal/pessoal.

Se isso fosse ruim porque o congresso e senado aprovaram a possibilidade de estrangeiros adquirirem no CPF terras nacionais? Em qual ponto e posição estamos cedendo aos efeitos reflexos dessa guerra. O que somos?

Mistério.