Obituário

www.youtube.com/watch

Diz a literatura médica que aos quatro meses de gravidez o bebe começa a engolir o líquido amniótico que o ajuda a desenvolver os alvéolos do pulmão, e também ja chupa o dedo.

Nesse período de gestação do COVID não tem sentido qualquer outra medida protetiva a esse filho tão cruel que o Brasil fria e estranhamente adotou.

De igual forma estranho e desnecessário o uso de qualquer tipo de proteção ao novo padrão adotado pela república e todos seus integrantes, sem exceção, a nós brasileiros.

O velho valor da democracia social estabelecido nas décadas de nossos avós foram mortos, sem enterro. E junto com eles também foi a rotina de trabalho.

Alguns aplicativos colocaram o pe na cova, hoje me sinto oficialmente do passado. Já não estava bem situado no contexto moderno que trai tanto as pessoas e a liberdade de pensar por besteira.

O social informata dominou o real.

Se voce ainda não se deu conta. Não existe preservação a vida pela utilização de máscara quando esta é, ainda que por instantes, retirada.

Não existe meio termo no combate ao virus bobo, que de bobo nada tem, se adapta, sobrevive e volta para se alimentar e multiplicar em voce.

Entendo que priorizar a indústria na fabricação de álcool em gel, dispositivo de acrílico e suporte de recipiente é tão perverso quanto abrir o mercado.

Meu corpo pode até não resistir ao coronavirus, porem a mediocridade aqui não tem vez.

Bom domingo!

Cara feia assunto sério

www.youtube.com/watch

Precisamos reagir aos rótulos impostos pela imprensa nas pessoas.

Que o Brasil não é para principiantes, sabemos.

Não vamos superar o COVID nem avançar em qualquer solução pela república enquanto a imprensa ficar polarizando.

A intolerância religiosa na rotulação de pessoas é alarmante.

Cabe aqui uma reflexão, será que não esta na hora de parar? Será que não tem assunto e agenda em prol do Brasil para ser noticiada? Porque não aproveitou para fazer um panorama das dificuldades em torno da educação?

Não tenho grande expectativa para o governo que vem se desenhando no meu ver de forma reativa ao embate, nem por isso vou fazer pre julgamento das pessoas.

Onde esta o diálogo?

A reportagem que fala sobre o ministro da educação pelo UOL é fútil, ofensa gratuita.

É a resistência institucional sobrepondo a notícia e aos interesses nacionais num assunto sério.

Falta educação na nação, em todas as classes sociais. E rotular as pessoas pela religião na função não é a solução.

É perseguição.

Rio SP de carro

www.youtube.com/watch

Tenho praticado distanciamento pessoal de forma ampla. Se ir a SP for inevitável, que seja de carro.

Além do que, mostro no vídeo que as 5-6 hs de carro equivale ao tempo que precisamos para fazer as coisas com antecedência.

Passo pela rodovia e vejo o quanto ela mudou.

Também percebi que mudei.

Apesar de cansativo, viajar rodeado pela natureza, modernamente tomada por condomínio logístico, poucas indústrias e fé, ao passar por aparecida, sinto que faço, acompanho e vivo a minha história.

Sou o grande protagonista dos meus problemas e soluções também.

Que bom.

E vc?!

Pedro sendo Pedro

www.youtube.com/watch

Tenho um olhar meticuloso, tanto pelo direito quanto pelos bens e coisas que rondam a minha vida.

Dar conta das coisas faz parte da vida. Não enche a cabeça, não é chato. É uma característica do que sou.

Em última análise é a forma pela qual sigo meticulosamente a vida.

No passado confundi esse jeito de ser com carência afetiva, ansiedade, depressão e por ai vai.

Hoje é divertido. De tudo posso dizer que aprendi e tenho feito o dever de casa.

Confira!

Out of order. Fechou. Covid é também oportunidade.

Na reta final para o ano que não começou, vejo o quanto o mundo mudou.

A incorporação de ferramentas tipo zoom no mundo conectou pessoas. Porém essa nova realidade esta longe de ser eficiente.

Muitos se aproveitam do fato, que fora do escritório, em casa ou qualquer outro lugar, participam das reuniões sem o mesmo afinco.

A presença do zoom na vida de muitos equivale hoje a estatística de pessoas que transitam pelo shopping sem comprar.

É bom trabalhar de casa, do zap ao zoom, do note ao celular, muitas tarefas são despachadas. Porém esta longe de ser uma solução.

No meio desse caos é que surgem oportunidades.

Acredito que pessoas e empresas estrangeiras, depois do ocorrido, vão procurar novos canais para servir de interlocutor local de seus investimentos e/ou auditoria.

Pegar um avião, viajar e se submeter ao risco do covid e suas variações vai ser casa vez mais difícil.

Essa guerra vai tornar atrativo o mercado imobiliário.

Derrepente o povo brasileiro se deu conta que esta pobre, seja pela desvalorização do real frente ao dólar, ainda que considerando a atualização daqueles centavos da era FH não chegou ao valor justo. Seja em última análise pela falta de dinheiro.

Nosso produto é agricultura. Priorizamos empresas estrangeiras. E a produção é basicamente voltada para la.

A economia nacional é inflexível. Ao invés do país comprar dívida de pessoa, micro, medio, grande e conglomerado de empresas, fazem propaganda de dinheiro disponível que não chega a quem precisa.

Parece que estão esperando todo mundo quebrar e algum estrangeiro comprar denovo como fizeram no passado. Vendem minério sem ter onde alocar. Privatizam esgoto de pessoas que essa conta não tem como pagar. Parece meio perverso, e é.

Nesse contexto acho que surgem oportunidades. Seja para canalizar investimentos estrangeiros para o país que não fabrica tecnologia, nem mesmo máscara para sua própria demanda. Seja para explorar o mercado imobiliário.

De óbice existe a insegurança jurídica, a criminalização de quem ganha dinheiro, o livre e persecutório mercado regulado por quem fala mal antes de entender ou conhecer os fatos.

Existem muitos problemas que não se resolvem em uma ligação por zoom. Precisam de pessoas hands on, para sair de suas cadeiras e botar a mão na massa.

Que legal. To vendo aqui onde nessa nova onda vou pegar.

Toda vida importa! Lady Kate esta bem.

Ano passado recebi uma foto impactante, encaminhada por moradora, na divulgação do trabalho de defesa dos animais.

Foi quando conheci a Kate, amarrada em um banco, esfaqueada, com cinomose, e muitas outras complicações.

Senti na pele a rejeição, agressão, a doença, e dediquei alguns dias a ela, adotei a Kate num lar temporário, até ela se recuperar, receber amor e reestabelecer.

Nesse mundo, em que a violência é gratuita a qualquer animal, e principalmente aqueles que só nos relacionamos por gestos, é impressionante a impunidade.

Olho para trás sinto feliz por ter sido um instrumento de deus, me ajudou em tudo o que foi necessário a plena recuperação dela, do amor ao gesto ao dinheiro.

De quebra também ajudei ao dono do lar temporário na aquisição de um terreno para fundar la o segundo lar. Que é o Serginho.

Ajudar e ser solidário, independente do resultado, é gratificante. Significa que os acertos estão maiores que os erros. Concluo que estou no bom caminho.

Até a próxima! Não deixem de conferir no insta o perfil patinhas do cidade jardim. E vejam que muito se faz com pouco. O amor vence!

Lady Kate sendo Lady Kate
Bem vinda a Ilha de Caras
Kate depois de resgatada nos primeiros cuidados
Fiz questão de levar comida a ela também
Sergio na DogHouse da muito amor e estrutura a todos.

Apropriação esta OK!

www.youtube.com/watch

Seja qual for a experiência que a vida lhe trouxe, trauma ou sucesso na esfera pessoal, profissional ou social, que atualmente é uma tendência, em algum momento a gente passa a régua e se apropria da história.

É um momento de liberdade. Também de reconhecimento e superação. Não estou dizendo que por regra tenha que ser social ou agradável.

Muito pelo contrário. Pode ser do tipo que nos deixa lambendo ferida ou assimilando a vitória.

Aprendi a verbalizar essas marcas. Com propriedade. Sem dor. É afago e pedrada. É amor próprio. É vida.

Poderia também ter marcado. Faria todo sentido se não tivesse eu essa natureza de pensar e colocar tudo por escrito.

Talvez seja outro motivo pelo qual me esforço e procuro me destacar na advocacia.

Enfim essa foi a reflexão de hoje pela manhã. Bom de viajar de carro, é tentar dar a baila no covid e ainda tenho bastante tempo para pensar até São Paulo.

Quando foi que voce se apropriou da sua história?! Foi libertador?! Sua vida melhorou?!

Abraço

A idade da razão

www.youtube.com/watch

Por muito ouvi e repeti a expressão “o tempo é o senhor da razão “. Pois bem esse senhor aí quando eu encontrar vai escutar muito.

Ele nunca vi, tampouco a razão.

Ainda que injusto viver tudo isso, a alternativa é muito pior. Fato, se estou aqui para escrever, algo de bom alguém também verá nisso.

Nunca desejei ser mais velho. Também nunca quis ser garotão. A idade passa igual pasta do dentifrício. Ambas tem em comum o fato que não voltam.

Pelo que vivi calejado fiquei. Não decido por impulso ou emoção e sim pelas dificuldades que passei.

Talvez seja essa a principal diferença de um “inte” “inta” de um “enta”. Esses anos a mais nos fazem olhar para trás com experiência e maturidade.

É isso.