O que o COVID lhe ensinou?!

www.youtube.com/watch

N√£o ha mal que seja eterno, e bem que n√£o possa ser feito aqueles que buscam nessa vida aprender e viver.

Até que alguém prove o contrário, sou carne e osso igual a todos que nesse mundo vivem e morrem.

E como tal busco sempre ao longo da vida e do trabalho, conhecer os problemas, as pessoas e estudar solu√ß√£o para os in√ļmeros problemas e quest√Ķes da vida que n√≥s advogados mediamos ao longo de nosso trabalho.

Final das contas não eh isso que me garante sucesso, reconhecimento, nada. Isso me traz um conforto de que enquanto pessoa estou no caminho certo para uma existência com paz e tranquilidade.

N√£o tenho apego ao dinheiro e aos bens materiais, nunca tive. Quem nele se apega n√£o vive para repartir, para ajudar, para multiplicar, para prosperar no sentido amplo da palavra.

E não precisei do COVID para realizar que tenho esse valor de berço, de vida, de estudo, de experiência e aprendizado.

Optei por não ser politicamente correto nessa questão porque também não julgo os outros, sejam os que exploram a pandemia quanto os que a ignoram como se não existissem.

Contudo faz parte da minha existência refletir, afirmar, pensar e perguntar, o que esse episódio, essa pandemia, fez voce refletir?

Segue o vídeo, to querendo saber sua opinião. Aqui, zap, YouTube, qualquer lugar.

+ vida – celular

www.youtube.com/watch

Percebo que muitos est√£o deixando de viver, sentir a vida e contemplar os momentos em prol da foto.

A excessiva preocupação, ou vício, de vincular momentos com uma selfie é uma característica, ou doença, agravada pelo celular.

Não me recordo à época do filme Kodak, em que as fotos eram reveladas e por demais caras, o excessivo consumo de poses em selfies.

Naquela época, em que o processo de revelação era praticamente artesanal, não dava bancar esse tipo de atitude.

Ali√°s nem com a c√Ęmera digital.

Foi o celular e a mídia social os condutores desse padrão que não é normal.

Que tal deixar a selfie de lado e aproveitar os momentos ?! Convido voce a conversar com o próximo, estabelecer um diálogo, entender o ponto de vista e refletir sem foto.

Feliz dia dos Namorados

Amar é cuidar, respeitar, conversar, entender, desentender, é ter acima de qualquer coisa o amor pela pessoa amada.

Feliz dia dos namorados denovo!!!

Resumo da ópera: SE quando o Pablito acorda sou para ele motivo de alegria, inspiração, companheirismo, luta e realização, estou feliz.

Feliz dia dos namorados.

Corpus Tristes… at√© quando?!

Ontem, dia de Corpus Christi, deveria ser um dia de comemoração, dia de procissão, dia de festa, dia de celebração da Santa Missa na religião católica, o que não aconteceu. Foi na realidade dia de Corpus Tristes. Não estou falando pela fé e sim pela manifestação dessa que não ocorreu.

Seja qual for a fé e religião, fato é que em todas elas existe um dia em que os fieis se congregam, vão as ruas, ornamentam suas casas, seus cultos, suas igrejas, seus templos, e saem ou juntos louvam a Deus.

Isso n√£o ocorreu… e n√£o √© poss√≠vel substituir isso pelo Zoom. E ainda que ocorra, n√£o tem o mesmo sentido, prop√≥sito e at√© mesmo efici√™ncia.

N√£o sabemos se o Coronavirus esta aumentando ou diminuindo as infec√ß√Ķes. Se a imagin√°ria curva existe, ainda n√£o esta claro se esta achatando ou crescendo. Sabemos sim que as mortes decorrentes dele ocorrem muito r√°pido e isso impressiona. √Č motivo de dor, panico, e paralisa as pessoas.

Essas √ļltimas semanas tem sido dif√≠ceis para todos.

Ainda que o desemprego galope mundo afora, por aqui talvez em razão dos direitos sociais, foi criado o factoide da suspensão dos contratos de trabalho sem remuneração. Isto estancou alguns de serem demitidos por iniciativa do empregador. Estes, não fizerem jus ao saque do fundo de garantia e seguro desemprego.

Uma parcela dos trabalhadores ficou pendurada no aux√≠lio do governo. Esse aux√≠lio √© inferior ao que ganham. A√≠ esta um motivo de indigna√ß√£o, falta de dinheiro, fome, e sa√ļde. Pior ainda quando o aux√≠lio parece que √© seletivo. Quem esta bem vamos ajudar, quem esta enrolado n√£o vamos… e quem √© fiel tamb√©m? quem √© militar tamb√©m ? quem √© da Zona Sul do RJ tamb√©m ? indago se a Lei n√£o √© igual para todos ?

Ao me formar, jurei observar a √©tica, os deveres e prerrogativas profissionais e defender a Constitui√ß√£o, a ordem jur√≠dica do Estado Democr√°tico, os direitos humanos, a justi√ßa social, a boa aplica√ß√£o das leis, a r√°pida administra√ß√£o da Justi√ßa e o aperfei√ßoamento da cultura e das institui√ß√Ķes jur√≠dicas.

Entendi ao longo dos anos que esse juramento é impossível.

Ainda que sejamos indispensáveis a administração da justiça, não existe justiça nem dignidade nesse sistema que, parece é feito para nos ejetar. Não gosta quando exercitamos com independência ampla.

Fato √© que advogar vai muito al√©m do livro e da lei. √Č preciso que o advogado entenda na hora de prestar assessoria jur√≠dica qual o melhor e mais eficiente meio de faze-lo. √Č preciso que o advogado avalie conflitos de interesses na hora de discutir, criar ou desfazer neg√≥cios, e por fim, como tais situa√ß√Ķes ser√£o julgadas pela justi√ßa.

Porque advocacia √© coisa s√©ria. N√£o se exerce da noite para o dia. A OAB n√£o permite que que a profiss√£o seja objeto de marketing… Da√≠ a imprensa, rede social, rede profissional, s√£o utilizadas por alguns profissionais para se enaltecer, como se fossem uma esp√©cie de curandeiros no exerc√≠cio da profiss√£o.

Até quando?!

Consumo consciente – Legado do COVID

www.youtube.com/watch

Não tivemos como opinar sobre como e quando seria o momento ideal para reabertura do comércio.

A julgar pelas informa√ß√Ķes divulgadas pela imprensa empres√°rios e industriais fizeram press√£o em todos os sentidos.

Resta a nós consumidores uma arma pouco usada no Brasil que é o consumo consciente.

√Č uma pr√°tica comercial no Brasil nivelar por baixo as rela√ß√Ķes de consumo.

Muitas s√£o as propagandas de produtos top na foto com pre√ßo de b√°sico… para na hora H ver que sai o mesmo pre√ßo ou mais caro.

Parece que é normal esse premio de consolação por ter sido enganado.

Não é. Criam expectativas para na hora H justificar sobrepreço, falta de produto, financiamento mais caro, e por aí vai.

N√£o vamos deixar que essas situa√ß√Ķes persistam.

Vamos lembrar que o Governo não nos auxiliou. Os empresários cobraram do governo a reabertura do comércio.

A política de distribuição de renda não é para todos. Quem esta enrolado não vai. Quem não é militar pode não ter recebido. Quem não eh da zona sul do RJ também pode não ter recebido.

Existem muitas armas que pela caneta, papel, e tela de computador foram apontadas para o povo.

E o consumo consciente é a nossa maior arma.

Vamos us√°-la.

Rio eu amo, n√£o tem quem cuide!

www.youtube.com/watch

Precisamos sair desse emaranhado de problemas que vive o Estado do Rio.

A solu√ß√£o para o caos da sa√ļde, fiscal e administrativo implica na necessidade de costurar um ac√≥rd√£o. Fazer mais com menos.

√Č preciso viabilizar a solu√ß√£o e sem retalia√ß√£o.

Ninguém do bem vai se dedicar ao estado persecutório. Fato!

E nesses √ļltimos tempos a imprensa, foi constante e persistente na cria√ß√£o de um movimento ideol√≥gico e que tamb√©m hoje se v√™ que foi pol√≠tico, de novo normal expor, julgar e jogar para a plateia sem bem informar.

Criou-se o estado persecutório.

Final das contas o povo n√£o elegeu quem quis, e sim o que n√£o queria ver dadas as not√≠cias que com costume e persist√™ncia acompanhou no √ļltimo ano.

Vidas rasgadas, trabalho ignorado, reputa√ß√Ķes manchadas, se misturaram com o que tamb√©m estava errado.

Resumo: nivelaram por baixo

Sair agora dessa inércia não é fácil. Para tal será necessário colocar o ego, o partido, o cargo, e muitos outros vínculos de lado para fazer a coisa certa.

Não temos muitas chances, temos algumas, são possíveis. Se a pessoa certa se interessar e não for perseguida.

Ainda n√£o vi no campo pol√≠tico algu√©m interessado em sair do fisiologismo. Tamb√©m n√£o vi muitas manifesta√ß√Ķes nesse sentido. N√£o significa que n√£o exista. Significa de in√≠cio que o carioca esta tamb√©m desiludido com o seu voto.

Ainda assim vejo que pode mudar. Esperando aqui. Tomara que não seja eternamente. Alguém vai ajudar?

Tudo no seu tempo

www.youtube.com/watch

O Brasil √© terreno f√©rtil para a ind√ļstria. Tudo por fazer. Muito pouco bem feito. Um dos fatores para a estagna√ß√£o na fabrica√ß√£o de produtos com alto valor agregado √© que o pa√≠s √© burocr√°tico e pouco informativo.

E tamb√©m muito socializado na rela√ß√£o do direito do trabalho e nas rela√ß√Ķes entre pessoas e o Poder Judici√°rio.

A interferência excessiva gera um mar de despesas legais, empresariais que corriqueira para uns de fato afugentam grandes empresas e empreendedores.

Não temos maturidade para discutir essa relação. Aqui nem sempre vale o escrito.

Tomei um susto com uma série de reportagens falando sobre a orientação de recrutadores para manter funcionários e empresas em casa.

Movimento perigoso.

Assista o vídeo e entenda o motivo.

Vidas e n√ļmero importam!

www.youtube.com/watch

Enquanto os EUA vive um momento de reafirmação cívica em prol a vida negra, que ve-se foi brutalmente perdida em um pseudo combate à violência, no Brasil estamos vivendo a luta da informação para preservar a vida como um todo, brancos, negros, ricos e pobres.

Não vejo muita saída para aqueles que são alvo do coronavirus que já levou todo o tipo de gente mundo afora, e cujo dinheiro não comprou o que de mais abundante existe e nem a tecnologia nos salvou, que é o AR.

Ainda assim, e n√£o √© por isso que devemos ser autorit√°rios, a ponto de escolher, mandar ao cont√°gio, ou mesmo n√£o divulgar a informa√ß√£o em tempo real das condi√ß√Ķes de vida, que em decorr√™ncia do virus, esta sob risco em todo o mundo.

Pessoas importantes não se deram conta que, ao posar com a mascara no queixo, deixam ali um exemplo que é normal colocar naquele lugar quando na realidade não é.

Nem colocar e tirar ao longo do dia, considerando que não temos como identificar onde estão as gotículas do vírus.

Foi um final de semana particularmente difícil e pesado para os cariocas. As notícias sobre a abertura do que mal fechou (e os índices de quarentena demonstram a falta de adesão) a persistência do investimento nas campanhas, digo, hospitais de campanha que já não abriram em detrimento da realização de obras na conservação dos que aí estão, são um insulto ao carioca.

Pontapé inicial é saber o que, e com quem estamos lidando. Felizmente uma imprensa livre e não arrogante esta nesse momento de estresse se reorganizando para trazer a informação.

Lamentavelmente cultiva junto a polarização e desinformação. Difícil ter opinião e centro quando o debate é extremado.

Nesse contexto a informa√ß√£o importa! Tanto quanto a vida de todos. Ali√°s sem informa√ß√£o pode ser que n√£o tenhamos vida, ou vidas √ļteis sejam inutilmente perdidas.

Com isso, precisamos nos unir, levantar a cabeça, circular a informação e manter a esperança que dias melhores virão.

Ainda que diferentes, certamente vir√£o!

Antes cedo do que tarde…

Volta e meia percebo situa√ß√Ķes ao redor que n√£o evolu√≠ram, porque muito cedo decidi.

Percebo atualmente que a mídia social acaba gerando muita interferência na vida das pessoas.

Tem dificultado, e muito, a tomada de decis√Ķes em todos os sentidos. Gera interfer√™ncia, muitas vezes nociva ao que determinamos.

Tenho amigos com medo de se relacionar. Quando se relacionam com uma pessoa, falam de outra no lugar.

Eu mesmo no passado prometi que iria fazer dieta, parar com o refrigerante, e por não ter resistido no início, ficou difícil depois de frustrado o plano

Fato é que sobre isso já disse Leonardo Da Vinci, que é melhor resistir no início do que no final.

Tivesse eu tido maior empenho logo no início de alguns planos, certamente hoje teria uma visão bem melhor e mais confortável.

Empenho, consist√™ncia, coragem, s√£o todos os fatores que na complexidade das decis√Ķes di√°rias n√£o consegui conjugar.

Fato: a medida que o tempo passa, qualquer raciocínio simples fica complexo.

Entender o que me segurou, admitir onde hoje estou s√£o passos necess√°rios e indispens√°veis para mudar.

Vamos aproveitar o domingo.

Quando nem tudo √© rec√≠proco…

www.youtube.com/watch

Observe como a regra da reciprocidade existe e funciona na sua vida.

N√£o raras vezes me vejo em situa√ß√Ķes que existem por conta de algo muito maior prometido que na realidade √© bem menor.

O que importa para muitos que chegam as vezes não é nem vender ou me engajar na questão e sim chegar a alguma indicação ou contato.

A regra da reciprocidade faz parte da dimens√£o da mente humana, assim como o credo.

Aprendi que não é o dono da bola que importa e sim o time. De igual forma, não existe time com jogador fominha.

N√£o existe reciprocidade em canal unilateral.

Esse tipo de relação não se cria, não se compra nem se constrói da noite para o dia. Ainda que seja o sonho de muitos e me incluo no time dos sonhadores, a vida vai passando e agora com 44 anos olho para trás e reflito sobre tudo o que fiz, apostei, gastei, ganhei e perdi em relação a pessoas.

Porque bens materiais n√£o s√£o rec√≠procos, n√£o tem valor, correspondem apenas a um momento financeiro… nesse caso e para quem tem cobi√ßa a vida alheia, a rec√≠proca n√£o √© verdadeira.

Bom s√°bado!