Manuten√ß√£o, uma quest√£o de consci√™ncia.

Sem d√ļvida, uma das maiores dificuldades do cotidiano √© a constante necessidade de manuten√ß√£o.

Consertar um eletrodoméstico, por exemplo, parece ser coisa do passado. No dia atual isso simplesmente não existe.

Me recordo que trinta anos atrás, na ocorrência de defeito em qualquer tipo de equipamento, havia uma assistência técnica em cada bairro, as vezes em cada esquina. Algumas autorizadas, outras não.

Tenho a percepção que havia mão de obra especializada para realização dos reparos seja qual fosse o serviço.

A evolução da vida nos levou ao fim disso. Tudo acabou muito rápido.

Quem disse que a geladeira nova é melhor do que a velha? Que a máquina de lavar atual tem mais qualidade e melhor durabilidade? O televisor, se der defeito tem reparo? E quando precisa, temos disponível técnico para ir em casa?

Se a manutenção do que se tornou item descartável e de consumo é difícil, para meu espanto, pior ainda em relação a família.

Parece que a moderna família também se deteriorou. Noto a falta apoio de filho para pai. Ao que parece em muitas famílias e nas mídias sociais a relação famíliar se tornou um eletrodoméstico moderno e barato.

Aqui n√£o.

E de certa forma estou feliz por não ter evoluído nisso. Me contento em consertar o que quebra da mesma forma que cuido do irmão e dos pais.

Nem todas as quest√Ķes s√£o de simples solu√ß√£o, longe disso, a cada dia somos impostos a ado√ß√£o da vis√£o do novo e moderno como paradigma, e cabe a n√≥s ter estrutura e discernimento para entender e principalmente n√£o absorver tend√™ncia e bobagem que est√° a√≠ na m√≠dia.

Quem se habilita a nostalgia da consciência?

Quest√£o de perspectiva ou de balan√ßa

Se hoje tivesse ideia do quanto importante é viver uma vida saudável, englobando aí exercício, teria no passado certamente optado por esse caminho.

Fui traído pela própria inteligência.

Explico, enquanto crian√ßa meus pais, sabiamente me inscreveram na nata√ß√£o do clube. M√ļltiplos seriam os motivos, creio que al√©m da socializa√ß√£o com outras pessoas eu teria uma atividade, gasto cal√≥rico, vitamina D, e por a√≠ vai.

Nadei até conseguir uma medalha de ouro em uma competição do clube. Ato contínuo entreguei a eles a medalha sob o argumento de que ali estava o prêmio que tanto queriam, e que como filho estava liberado para então fazer o que bem entendia.

Manobra inteligente para quem gosta do menor esforço e burra para quem do esforço a longo prazo precisa para se movimentar.

Aproveitei a nada fácil adolescência para entender os motivos que iriam muito além da simples medalha. Da relação mãe bebe do passado ao que de mim esperava no futuro, percebi que aquela tarefa era a mais fácil. E a persistência seria o mais difícil.

Me enveredei na busca de informação, naquela época conciliei o hábito de escutar musica com a então nova era da computação.

E precocemente cheguei a quase viver a vida que não tive, quando executivos da 3M no início de 90 nos fizeram uma visita no Brasil para debater os pontos levantados por mim encaminhado por carta.

Tivesse minha mãe anotado o nome dos executivos nem teria feito advocacia. O destino reservou a mim essa profissão que tanto amo. Por outro lado abandonei a tecnologia de vez, e hoje mais velho percebo que não consigo acompanhar a evolução das coisas.

Um simples aparelho de telefone celular é um caos, tudo se opera na base de gesto. Dane-se os gestos, sou adepto ao bom e confiável botão.

Voltando a balança, hoje vejo o quanto é importante ter uma memória muscular e praticar exercícios constantes. O quanto poderia ter tido uma vida conectada ao esporte e o quanto isso faz bem e relaxa.

Perdi muitos anos. Se antes olhava os idosos na piscina fazendo hidro e pensava para que isso, ou que esse dia n√£o chegar√° em minha vida t√£o cedo, hoje estou ca a perceber que a ladeira abaixo chegou antes dos 50.

√Č uma rela√ß√£o de debito que tenho desde uma vida e que n√£o me iludo, com a carga de trabalho que tenho n√£o √© f√°cil conciliar. As vezes dif√≠cil. Imposs√≠vel. Ai quando tenho tempo e me pergunto o que √© mais importante? A satisfa√ß√£o na comida ou a sa√ļde corporal, evidente que o corpo n√£o vem em primeiro lugar.

Não vinha ate o início desse ano. Ainda assim, como cachorro de rua, cedi a tentação e perdi 8 meses de resultado. Nossa como pude fazer isso?! Seja como for, página virada.

Próximo passo é emagrecer com consciência e procurar no processo alguma felicidade.

4 semanas tem balança, semana que vem carnaval, amanhã viajo a trabalho. As cartas estão na mesa.

Superei o vício da coca cola, quase de chocolate, descontei no pão e afins o que não podia. Virando a página das dificuldades e procurando solucionar isso.

E aguardar o próximo capítulo …..

Cara de triste comendo besteira

Imigra√ß√£o em Londres, um terror.‚Ķ o Brasil deve repensar essa rela√ß√£o. Urgente.

Chato quando a gente passa por situa√ß√Ķes que n√£o somos acreditados. Chato quando aos 46 anos dos quais 20 a trabalho em favor da advocacia somos respondidos em voz alta e sarcasmo.

Pior ainda quando isto ocorre em outro pa√≠s. Acabei de passar por uma situa√ß√£o muito desagrad√°vel, desnecess√°ria e rude. Ao final recebi algumas horas de perman√™ncia aqui. E isso n√£o tem problema, e sim a forma mal educada, d√ļbia, estupida pela qual isso aconteceu.

Bem, se uma coisa a vida na advocacia me deu foi o poder de absorver como uma esponja e responder como uma catarata a agressão. E sim, fui agredido. Daí porque chamei o consulado brasileiro no e-mail.

Quando a gente abaixa a cabeça para o que é certo e verdadeiro, a banalização e a escuridão tomam conta. Melhor seria se abaixasse a cabeça para isso? Engolisse a seco esse abuso?

Não da. O mundo evoluiu ao ponto que esses fatos não podem passar despercebidos. Se antes um povo brigava pela honra, se vivi a evolução da máquina de escrever ao iPhone, se tudo esta a palma da mão, a constatação do que vivi hoje não pode deixar de existir.

A posteridade vai cuidar dessa funcionária e desse país que de fato não recebe bem aquele turista de uma noite por conta da conexão de seu voo. Acabou que me dei de presente uma passagem executiva pela pior companhia que existe, a British Airlines.

Não só fiquei enjoado na ida, pois o assento central é virado para o fim da aeronave, viajei de costa, como agora na conexão de 13 hs imaginei que teria alguma tranquilidade para ir no sofitel e tomar banho, descansar e jantar.

Nada disso, melhor ir de TAP, Air France, KLM, melhor ficar longe daqui mesmo.

E o que disse no e-mail?! Abaixo: (a minha parte eu fiz)

I would like to make a Former Complaint to the border control officer who attended me today, friday 11th at around 21 hs.

If politeness is expected from everyone that is attended to at the border, i expect the same way from your officer.

And it simply did not happen.

Let me just say this has been the worse experience I have ever had, needless to say I will have this negative attitude registered for my life.

I bought a round trip to Portugal using British Airline Executive Class that had a fantastic fare. When I purchased my ticket using the Brazilian App decolar.com from JAN 26 to FEB 12 i assumed the return flight would happen in the same way as the incoming flight.

Stop over London for a short wait untill the next flight. I was in a rush for my birthday. Luckily the connecting inbound flight on January was not long enough for me to stop by a hotel and I got by the executive lounge and arrived in Portugal at time of my birthday.

Unfortunately when asked by the border officer why was I here and I responded that unfortunately I had a 14 hour wait she did not believe me.

And the sarcasm begun.

She asked out loud her fellowemployees if the flight was late. And I had to correct her, of course not. This is not about a late flight, this is about a 13 hour passenger wait.

And being a 46 year old, lawyer for 20+ years, I am entitled to enter the country and to be treated with respect, not sarcasm, to have my word accounted for and not taken in disbelief. Who is she not to believe what is honest and the truth?!?!

I was loudly said that I was going to be given a day to leave the country.

If I was not tired enough this would not be necessary.

People from this country should not treat foreign with such disrespect. Nor do we Brazilians need to be disacounted for. I really had no control of BA business schedule trips or a trip bought by APP, but needless to say I will look foward to KLM and AirFrance. Those companies and its country are much better then yours. Have been there always on vacation never had any distress.

I will also take this matter to the brazilian consulate that is being copied on thie email because I feel that such people should really not work. Unfortunately this officer is not suitable for a work as this, shameful.

I will enclose my travel summary, schedule and my 5 star hotel at portugal and car rental. Thankfully I earn enough all my life to travel everywhere else in the world.

This has been a great problem. Hope it improove the way this person attended. At the end of the night it is 23 o clock, if you only knew how badly this impacted me I do not even wish to have dinner. Neither because it took too long, no room service and I do not wish to wonder around a city after this reception.

Best of luck, will never look at England, its history, people and products with pride again.

Da politica a confeitaria‚Ķ novas motiva√ß√Ķes.

A politiza√ß√£o de situa√ß√Ķes do nosso cotidiano por vezes nos tira o foco do que realmente √© importante.

Vejo muita gente debatendo a questão do covid e praticamente ninguém se questionando o porque do open banking.

Se de um lado √© f√°cil falar e controvertido argumentar sobre as situa√ß√Ķes em que o Estado se sobrep√Ķe a ci√™ncia, de outro ningu√©m comenta ou questiona porque o Estado invadiu a esfera banc√°ria como invadiu.

Me lembro que ha 10 anos atr√°s embarquei em uma corrida eleitoral contra o PT, Cabral e Paes e o ent√£o partido democrata pregava menos Estado e mais direitos.

Hoje o Estado se tornou um v√≠rus, esta maior que a pandemia, emprega milh√Ķes de pessoas em servi√ßos pouco √ļteis e nada competitivos.

Servidor p√ļblico sem reajuste anual √© greve. Ja no particular, al√©m de manter o pre√ßo corro o risco constante da concorr√™ncia. E como tudo que √© dif√≠cil pode ficar ainda pior, imagina o caos que fica quando o cliente fecha a porta.

Nessa √ļltima hip√≥tese, al√©m de perder receita, preciso cuidar da equipe, pagar sal√°rios, suprir o escrit√≥rio com novos clientes, e ainda mantenho aconselhamento e trabalho ainda que reduzido aos que est√£o em dificuldades financeiras.

Afinal a vida é uma constante evolução, não podemos deixar na mão as pessoas que outrora contribuiram para o nosso alicerce por dificuldades financeiras.

Entendi isso na dor. Somente realizei o quanto cresci quando a conta da PJ migrou para a plataforma ouvidor, mesma que atende o escritório Zveiter, escola de boa prática e de advocacia, onde aprendi a argumentar Lei, Doutrina e Jurisprudência.

Infelizmente a prática do Direito também mudou. Politizar o efeito da decisão que julgou a incompetência de um magistrado e portanto anulou todo o processo porque não se gosta do reu pode. Questionar o magistrado pelo trabalho mal feito não. Ouvir de ministro que a justiça deve ouvir o clamor da rua pode, questiona-lo por sua fala populista e parcial não pode.

Vinte e cinco anos atrás estudávamos a fundo as fontes do direito, para debater tese com base no espirito da Lei, sua análise e interpretação pelas fontes e aplicação pelos tribunais nos casos em que já haviam alguns julgados.

A cada dia que passa vejo surgir novos especialistas, cada um com seu livro, sua ideia, sua doutrina, sua palestra, alguns até com canal em mídia social.

Todos em comum seguem a linha do discurso do direito moderno. E o direito moderno é para estes a a formulação de tese com base na doutrina atual, ainda que esta seja incompatível com a segurança jurídica que se espera do direito clássico.

At√© entendo que precisamos passar ao pr√≥ximo nossa experi√™ncia de vida na esperan√ßa de iluminar gera√ß√Ķes que vir√£o. Isto contudo n√£o nos torna fonte de nada, quando muito o retrato de determinada situa√ß√£o. E tamb√©m n√£o retira de quem veio seu valor.

Para esses modernos a leitura em nada lhes ajuda, pois estão submergidos em suas palavras e não enxergam um palmo além do objetivo que tem que é satisfazer sua vontade, ou seja, tem no seu ego a inesgotável propulsão.

Resultado prático dessa política de modernização é a proliferação de especialistas. Que gente chata, vazia, repetitiva e intolerante. Meu Deus! pensando bem melhor é deixar ele de fora porque sua história é uma só, muito dura, nada fácil, e quando atualizar, muita gente aí vai rodar.

Voltando ao início, acho que a expansão desenfreada do estado em nossas vidas trouxe caos, aprisionamento e recessão. Não podemos deixar que ele seja o novo padrão ou a modernização do caos.

Que esse padr√£o de vida e estudo seja melhorado pelos que tem condi√ß√Ķes de ajudar e empreender no que n√£o √© nada f√°cil, e ainda precisam conviver com esse governo falho em todas as suas esferas de servi√ßos e parlamentares.

Enquanto o mundo espera por uma resposta a vacina eu estou fazendo a minha parte. E por n√£o ser alheio as quest√Ķes mundanas e as de urgencia daqueles que est√£o em posi√ß√£o de vulnerabilidade, resolvi esse ano contribuir para fazer so sonho a realidade de emprego e vida.

Isso mesmo, foi dado o pontapé a criação da confeitaria social.

Baner e conta criada, estamos começando!

46 anos, so far so good.

Todo ano se repete a mesma história embora a minha percepção dos fatos é tanto um quanto diferente.

E no mes de janeiro, como n√£o poderia deixar de ser, no dia 30, comemoro e sou lembrado do meu anivers√°rio.

Aprendi que a palavra anivers√°rio esta longe de ser sin√īnimo de alegria. Para alguns pais por exemplo √© sin√īnimo de acidente vaginal, alguns com v√≠tima, nasceu o filho.

Para o Governo americano este mes simbolizou a invasão do capitólio, morreu um monte de gente em meio à disputa Trump e Biden.

Por falar em disputa presidencial, este mes um reitor da PUC em MG pediu e reiterou a saída do bolsonaro.

Ainda que segundo o Mundo Fantástico das conservas Portuguesas, neste mes do meu aniversário tenhamos a fundação da Apple e o nascimento de Collin Farrel e Ronaldo, tais fatos não representam nem garantem qualquer tipo de motivo e alegria.

Esse ano tive uma grata surpresa.

Recebi por coincidência, na vespera do meu aniversário, a mensagem de agradecimento pela formação da primeira turma de panificação da associação de amparo ao próximo.

Que felicidade, quanta emoção!

Aprendi durante a pandemia a olhar mais atento para o próximo. Que próximo? Aquele em situação de vulnerabilidade que agravou ao ponto de ir a rua. Aprendi a olhar a quem tem fome, a quem cujo desgoverno e a sociedade lhe tirou qualquer tipo de futuro.

E o que fiz? A minha parte. P√£o para quem tem fome e emprego para quem precisa. Depois de alguns anos conversando com o Carlos sobre isso montei esse projeto de que me orgulho.

Se de um lado me enraive√ßo ao ver que vivemos no Rio o reflexo do desleixo do governo em todas as suas esferas, cuja incompet√™ncia resultou na perda de servi√ßos p√ļblicos, sa√ļde, educa√ß√£o e civilidade a ponto da prefeitura renunciar IPTU e instituir tarifa social do que n√£o fez nunca far√° e cobra s√≥ para ingl√™s ver, de outro fiz a minha parte.

Meses depois da aquisição e montagem do equipamento um técnico entrou no circuito e junto com uma pedagoga formulou um curso para capacitar pessoas, e fazer base técnica de uma profissão que faz falta.

E o que isso tem relação com o meu aniversário?!

Vou te dizer, celebrar o aniversário na minha criação não é usar a data para justificar festa ou usar a data para comprar presente… não.

Anivers√°rio para mim √© agradecer o ano que tive, ser grato pela rotina que tenho, pelo que Deus me d√° e n√£o falta. √Č falar com as pessoas que me relaciono o ano inteiro, a passeio ou a trabalho.

Aniversário para isso é receber uma mensagem inesperada da turma que terminou. Deveria ter terminado no natal, não parou em razão das festas e prolongou-se ate a vespera do meu aniversário.

Que felicidade. Espero que o curso seja inserido na plataforma digital e que sirva de auxílio para todos que precisem. Que se converta em renda.

Realmente com um presente desse não faz sentido querer nada mais …. Vivi por uns instantes a plenitude, uma leveza, extrema felicidade ate o ponto de ter uma ideia.

Investir na doceria social, capacitar pessoas a fazer doces, tortas, sobremesas em bares, restaurantes e padarias. Isso esta em falta.

E tamb√©m nem por isso deixei de comemorar o meu anivers√°rio, ainda que viajando recebi de um grande amigo um presente que jamais teria condi√ß√Ķes em adquirir. Fino. Delicioso. Vinho gostoso. Depois de algumas garrafas deu no v√≠deo abaixo.

Ainda que sem planejamento e sem qualquer tipo de festa, no meu anivers√°rio Deus me permitiu ser feliz

E quanto a festa da amparo, que fez transbordar meu coração de alegria e felicidade, segura a emoção