Eficiencia!

Conheça dicas de especialista para driblar alguns dos comportamentos que mais corroem seu precioso tempo

por Julliane Silveira | Ilustração: Alexandre Affonso

 

Clique para ampliar

Crédito: Alexandre Affonso

Do que precisa para atingir um objetivo ou concluir um projeto? Você pode responder que necessita de força de vontade, de conhecimento, de dinheiro. Mas certamente ter tempo é fundamental. Para a psicóloga Marciliana Correa, no entanto, a ajuda do relógio nem sempre é tão importante, já que prazos longos são cada vez mais raros mesmo. “O melhor é aprender métodos para driblar os desperdiçadores de tempo, que são comportamentos que prejudicam o desempenho”, explica.

Marciliana, que é especialista em consultoria e treinamentos em gestão de profissionais, afirma que existem alguns hábitos que só atrapalham e fazem com que as pessoas não consigam organizar o (pouco) tempo que têm para executar suas (muitas) tarefas.

Aqui ao lado você vai conhecer algumas dessas “armadilhas” e aprender algumas técnicas que podem ajudá-lo a driblar esses maus comportamentos, para mudar seu modo de pensar e se comportar de maneira mais eficiente e produtiva.

Procrastinação
O trabalho que precisa ser feito é muito chato. Ou é demorado. Ou é extremamente difícil. Não importa qual é a desculpa, o procrastinador sempre acha um jeito de deixar para depois o que deve ser feito agora. Uma pesquisa da DePaul University, de Chicago (EUA), estimou que 20% dos americanos fazem isso cronicamente. Mas essa atitude só complica a situação, é claro: o que tinha um prazo longo acaba sendo feito na correria, e o trabalho se torna mais suscetível a erros. Sem contar com o risco de se perder prazos e, consequentemente, clientes, o emprego, o contrato… 

As soluções: 
– Divida as tarefas mais chatas em pequenas etapas e comece o dia com elas. Mais cansado, você faz as legais. 
– Identifique e lute contra as desculpinhas esfarrapadas que você inventa para si e com a autoindulgência. Alguns pensamentos comuns do procrastinador: “eu mereço um descanso”, “depois eu compenso o tempo perdido” ou “hoje estou triste”. 
– Aceite o fato fundamental: adiar não é uma solução. Pode ser um alívio agora, mas trará problemas piores depois.

Perfeccionismo
O mesmo trabalho é refeito uma, duas, cinco vezes, mas o perfeccionista ainda acha que deve melhorá-lo. Ele está sempre insatisfeito e tenso durante as tarefas, que o leva à depressão e à ansiedade. O perfeccionismo torna o trabalho mais lento, o que pode prejudicar o cronograma de projetos pessoais ou profissionais e dificultar o relacionamento com outras pessoas. 

As soluções 
– “Cuidado com o pensamento ‘ou tudo ou nada'”, alerta Marciliana. O fato é que as pessoas esperam um trabalho de boa qualidade, executado no prazo estabelecido. Simples assim. 
– Aceite entregar um trabalho bom, e não um perfeito. Afinal, uma tarefa perfeita entregue fora do prazo não serve para mais nada. 
– Observe o padrão de trabalho dos colegas — esse é um bom parâmetro de referência. Se tiver tempo de fazer algo melhor, ótimo. Se não tiver, não precisa superar todo mundo em cada tarefa. 

Desorganização
É impossível encontrar o relatório que ficou sob os papéis da mesa, e o presente da mãe é sempre comprado de última hora. O desorganizado perde compromissos, não se prepara para reuniões, gasta tempo à toa procurando coisas na bagunça. “Ele vive apagando incêndio”, diz Marciliana. E coloca uma carga extra de pressão sobre si, com a sensação de que não tem controle de nada. 

As soluções 
– O básico: tenha uma agenda. Pode ser de papel, no computador ou no smartphone — o que combinar mais com seu perfil. 
– Separe um tempo à noite ou no início da manhã para programar o dia e anote todas as atividades planejadas. 
– Insista nesse hábito. No começo, é comum a sensação de sobrecarga, por causa do trabalho atrasado. “Mas tudo melhora em uma semana”, promete Marciliana. 

Falta de disciplina
Você precisa concluir um relatório e entregar a apresentação de um projeto para o chefe, mas resolve achar um tempinho para atualizar o status do Facebook e acaba se enrolando. Quem sofre com falta de disciplina tende a deixar de lado o que exige dedicação e empenho. Isso aumenta o risco de perder boas oportunidades na vida, por causa de distrações ou de coisas inacabadas. 

As soluções 
– Estabeleça metas realistas — as de curto prazo dão motivação para continuar. 
– Livre-se de distrações: redes sociais, e-mail e até telefone podem ficar de lado ao menos nas primeiras horas de trabalho do dia para você se concentrar. 
– Seja sincero com os colegas que o chamam para vários cafés. Diga que precisa focar no trabalho. 
– Se o chefe o cobra demais, não dê respostas vagas como “está tudo sob controle”. Em vez disso, dê retornos objetivos sobre o andamento das coisas — isso inibirá novas perguntas. 
– Concentre-se sobre o que é importante, e diminua ou elimine as tarefas que não são fundamentais.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s